Rua Marquês de Olinda, 174 - Ipiranga

(11) 2738-2123 [email protected]

Dança do Leão

Dança do Leão

Reconhecido como rei dos animais, bravo e feroz pelos ocidentais, para os chineses ele é benevolente e manso. Simbolicamente representando o dragão, a fênix e o Qi Lin (ou Kirin, um unicórnio da mitologia chinesa) o Leão Chinês existe a mais de mil anos atrás vindo da Índia através da disseminação do Budismo. Han Wu Ti, imperador da dinastia Han, fez transações comerciais com o oeste e era comum entreter os convidados através de manifestações culturais. Em uma dessas apresentações dançarinos usavam máscaras de animais, mas não havia uma de leão, pois esse animal não existia na China. Os comerciantes do oeste então trouxeram, através da rota da seda, leões de verdade e seus treinadores como presente.
 
A Dança do Leão chinesa tem relações muito próximas ao Kung Fu e os dançarinos normalmente são praticantes de ambas. Geralmente uma escola com muitos leões demonstra que ali é um estabelecimento muito próspero. Atenção! Não confunda a Dança do Leão com a Dança do Dragão, esta última necessita de muitas pessoas. Pode deixar que escreverei um artigo específico sobre ela.

Os instrumentos mais utilizados na Dança do Leão são o tambor, os pratos e o gongo.

Curiosidades
  • O chifre é oriundo do pássaro como a fênix que é símbolo de vida e regeneração. Também representa o elemento feminino;
  • As orelhas e a cauda são oriundas da criatura mística Qi lin ou unicórnio chinês representando sabedoria e boa sorte;
  • A espinha venha a cobra representando fortuna e charme;
  • A parte de trás da cabeça vem da tartaruga que representa a longevidade;
  • A testa e a barba vem do dragão que representa força, liderança e o elemento masculino.

A Dança do Leão

O leão sempre foi considerado como o guardião sagrado da religião e a dança possui elementos do Budismo, Taoismo e Confucionismo, tornando-a misteriosa e um rito espiritual. A Dança do Leão se modificou no decorrer da história devido à Revolução Cultural, influência de religiões, esportes, artes e grupos étnicos. Através das dinastias Tang, Sung, Yuen, Ming e Ching e do palácio para o povo a dança se tornou algo imprescindível nas cerimônias comemorativas.

Hoje em dia ela pode ser categorizada como Leões do Norte e Leões do Sul, mas não foi sempre assim.

Leões do Norte

Leões do NorteAcredita-se que no período Wei do Norte a partir da região de Yang Tze Kiang – norte da China – a dança começou a se disseminar e passou a se chamar Leões do Norte de Wei, a qual continuou até o período Song do Sul e passou a se chamar apenas Leões do Norte. Devido aos seus pêlos longos e dourados e seu corpo similar à um cão, o leão também carregou o nome de Jing Shi (Leão de Ouro). A performance do norte normalmente possui dois leões adultos, um ou dois filhotes e um, dois ou três expoentes artistas marciais para liderar.
Além de serem identificados através de fitas ou cores da pelagem em suas cabeças (vermelho para fêmea e verde para macho), os leões do norte possuem uma dança que enfatiza agilidade, flexibilidade, graça e benevolência.

Leões do Sul

Leões do SulVindo do norte para o sul a Dança do Leão ganhou muitas variedades baseadas em suas formas e diferentes características. Por exemplo, os clãs dos Kek tem seus leões parecidos com touro e leopardo, enquanto os Hokkien tem os leões verdes, e assim por diante. No entanto, inicialmente existia apenas duas escolas, Fut Shan e Hoksan, que foram se misturando entre si e com outros estilos de Kung Fu para, hoje em dia, existir:

  • Fut Shan
  • Hoksan
  • Futthock
  • Jow Ga
  • Taou Pai

Os Leões do Sul se tornaram bem populares e são originários de Guang Dong e por isso são chamados de Leões Cantoneses. Esse estilo é muito baseado na “base do cavalo” grande herança de sua proximidade com o Kung Fu.
Há muito tempo atrás eles eram chamados de Rui Lion (Leões Auspiciosos) e isso perdurou até a República Popular da China. O nome mudou em 3 de maio de 1928, quando muitos Jingnan foram torturados e mortos por japoneses e a China foi chamada de “Os asiáticos doentes”. O nome foi alterado porque a palavra Rui, em cantonês era pronunciada como Shui, que significa adormecido. O novo nome ficou Shing que significa “despertado”para despertar o nacionalismo chinês.

Cores dos leões

Zhang Fei, Liu Bei e Guan Gong
Zhang Fei, Liu Bei e Guan Gong, respectivamente

Cores diferentes de leões são usadas para dar a idade e personalidade do leão. O leão com pêlos brancos é considerado o mais velho de todos, já aqueles com a cor amarela são os de meia idade. O leão preto é o mais novo de todos, cujos movimentos devem ser mais ágeis ou “cabeça dura” como um adolescente.  As cores podem representar, também, a personalidade como: o dourado demonstra vivacidade, o vermelho coragem e o verde amizade. Contudo, ainda existe três tipos específicos de leões, que representam personagens históricos da China e do clássico Romance do Três Reinos [aqui aconselho assistir o filme Red Cliff, Batalha dos Três Reinos] e que tinham um pacto de sangue de restaurar a Dinastia Han: 

  • Guan Gong (Contonês: Kwan Kung) – Conhecido como Xing Shi (醒獅; pinyin: Xǐng Shī; “Leão desperto“), ele tem uma face basicamente vermelha com pêlos pretos e barba longa e preta (por ser conhecido pela sua ostentosa barba). A cauda é vermelha e preta com tarja e parte inferior branca. Ele é conhecido como o segundo irmão da tríade e ostentada duas moedas no colarinho.
  • Liu Bei (Contonês: Lau Pei, Yue Fei) – Conhecido como Rui Shi (瑞獅; pinyin: Ruì Shī; Leão Auspicioso), esse é o mais velho dos três e tem uma face amarela imperial (porque ele se tornou o primeiro imperador do reino de Shu-Han) com barba e pêlos brancos (para mostrar sua sabedoria). Ele ostenta uma cauda multicolorida com parte inferior branca, significando as cores dos cinco elementos, os quais controlava por se acreditar que o imperador possuía a bênção dos céus. Os leões Liu Bei mais velhos ainda possuíam a cor preta na cauda. Ademais, há três moedas no colarinho. Esse leão é muito utilizado por escolas com um SiFu (professor de Kung Fu) reconhecido.
  • Zhang Fei (Contonês: Cheung Fei) – Conhecido como Dou Shi (鬥獅; pinyin: Dòu Shī; “Leão de luta“), esse tem uma face preta com barba curta e preta, pequenas orelhas e pêlos pretos. A cauda é preta e branca com tarja e parte inferior branca. Tradicionalmente esse leão também tem sinos presos ao corpo, que servem como advertência como o chocalho da cobra cascavel. Sendo o mais novo dos três irmãos, possui apenas uma moeda no colarinho. O general Zhang Hei tinha um temperamento explosivo e amava lutar, por isso esse leão era usado por locais que estavam apenas começando ou por aqueles desejando fazer um desafio.

Mais tarde, mais três leões foram adicionados ao grupo:

  • Zhao Yun / Zhao Zi Long (cantonês Chiu Zi Long) – Este tem a face cauda verde, pêlos pretos e alguns detalhes em branco. Também chamado de “O Quarto Irmão”, ele é o Leão Heróico, pois Zhao Yun enfrentou os milhões de homens de Cao Cao para resgatar a infantaria de Liu Bei.
  • Huang Zong (cantonês: Wong Tsung) – O corpo e a cauda pode ser tanto amarela, quanto laranja com pêlos e barda branca. Ele é tido como o Leão Justo.
  • Ma Chao (cantonês: Ma Chiu) – Esse é o leão branco devido à cor da braçadeira que usava na batalha contra Cao Cao – o imperador da dinastia Wei -, significando o luto pelos seu pai e irmão mortos por esse último. Por isso, esse leão é conhecido por ser de funerais, e penas para pessoas importantes como mestres ou chefes. Costuma-se queimar o leão após o uso por ser de má sorte mantê-lo por perto. Às vezes ele é confundido com o prateado, que pode ter uma cor esbranquiçada.

Todos esses leão citados, exceto Liu Bei, são conhecidos como os “Cinco Generais Tigres de Shun”, cada um representando os cinco elementos controlados pelo Imperador Liu Bei.

Lendas da Dança do Leão

A história de “Nian”

A lenda diz que “Nian” (pronunciado como Neen) era um monstro feroz que gostava de sequestrar crianças. O monstro aterrorizava as vilas ano após ano. Finalmente, em um determinado ano, um leão derrotou o mostro e o afastou das vilas. “Nian” prometeu retornar no próximo ano. Porém, desta vez, as pessoas que moravam na vila não tinham mais o leão para protege-los. Então, eles resolveram o problema criando uma fantasia de leão na qual duas pessoas da vila a usaria para assustar “Nian”. Por esta razão, a dança do leão é feita todo Ano Novo Chinês. A lenda também diz que o som alto do tambor, dos outros instrumentos e dos fogos de artifício ajudam a espantar o “Nian”. Utiliza-se vermelho nas celebrações de ano novo porque acredita-se que “Nian” tinha medo da cor vermelha. A palavra “Nian” acabou se tornando a palavra chinesa para ano.

O sonho do imperador

Outra origem da dança do leão é que um imperador da dinastia Tang teve um sonho na qual uma estranha criatura salvou sua vida. Quando ele acordou, descreveu seu sonho para seus conselheiros que informaram que a criatura descrita parecia um leão, uma criatura do Oeste. O imperador organizou a dança do leão em honra à criatura que salvou sua vida. Na dinastia Tang a dança do leão atingiu seu pico.

Compaixão de Kuan Yin

Outra lenda descreve o leão como uma criatura mística que vivia no Céu. O leão era uma criatura tão brincalhona e travessa que causou muito transtorno para o Rei dos Céus. Como punição, ele cortou as pernas do leão e enviou seu corpo para perecer na Terra (por esta razão que a fantasia de leão é somente a cabeça e a cauda). Kuan Yin, a Deusa da Misericórdia, viu a situação e ficou com pena do Leão. Ela o transformou o leão adicionando elementos místicos de diferentes animais de maneira a domá-lo e utilizar a força do leão para o bem.

 

Deixe uma resposta